Pular para o conteúdo principal

Sorva

    
    
                         
                           

Nome da fruta: Sorva
Nome científico: Couma utilis (Mart) Mull. Arg.
Família botânica: Apocynaceae
Categoria:
Origem: Região amazônica
Características da planta: Árvore geralmente com 20 metros de altura, copa ampla e densa. Possui látex abundante, leitoso e potável ao longo de toda a planta. Folhas rígidas, de coloração verde  e brilhante. Flores pequenas, reunidas em inflorescência, de coloração rósea.
Fruto: Tipo baga, globoso de coloração verde, passando a castanho-escura quando maduro, casca fina contendo suco leitoso e viscoso. Polpa mucilaginosa e coloração amarelada.
Frutificação: Dezembro a março
Propagação: Semente
As sorveiras são diversas e bastante comuns em toda a região amazônica, onde são frequentes, especialmente em terras dos estados do Amazonas, do Pará, do Amapá e de Rondônia, chegando até às Guianas, à Colômbia e ao Peru.
Encontram-se sorvas silvestres em meio à floresta densa de matas virgens, em terrenos alagados ou de terras firmes. Algumas variedades são espontâneas nos campos e campinas e em matas secundárias, sendo também cultivadas nos arredores de Manaus, Amazonas.
Os frutos das sorveiras, em todas as suas variedades, são do tamanho de limões e, no princípio, verdes, passando a uma cor parda e escura. Apesar de apresentarem um sabor adocicado e de se constituírem em alimento para as populações regionais, sendo consumidos ao natural ou como bebida refrigerante, os frutos da soveira não são os produtos que mais se aproveitam dessa árvore.
Retirado do pé por um processo semelhante ao da extração da seringueira, o látex da sorveira tem grande utilidade como matéria-prima industrial, em especial na fabricação de goma de mascar. Segundo Paulo Cavalcante, a exploração da sorva com essa finalidade e o seu comércio já foram muito intensos na floresta, tendo se reduzido bastante nas últimas décadas do século 20.
O látex da soveira pode, ainda, ser utilizado industrialmente na produção de outras gomas e de vernizes. Desde tempos longínquos, os povos indígenas da Amazônia sabem que, além das utilidades alimentícias, o látex da sorveira tem propriedades isolantes, sendo bastante resistente ao tempo e à umidade. Coagulado e misturado com outras substâncias, por exemplo, esse látex é muito empregado na calafetação das embarcações e caiação das paredes das habitações locais.

Leite vegetal

Do tronco das sorveiras é possível extrair boas quantidades de um látex espesso, branco e viscoso, que é comestível e de paladar adocicado. Esse látex pode ser ingerido puro ou misturado à farinha de mandioca. É costume, porém, utilizá-lo sempre diluído em água. Dessa forma, é usado como bebida em substituição ao leite da vaca, acrescido de café ou, ainda, como ingrediente no preparo de mingaus. Na floresta, por exemplo, o caboclo ou o seringueiro saem para a jornada de trabalho sem precisar levar qualquer alimento: sabem que ali encontraram as sorveiras com seu látex consistente, fornecendo alimento puro e natural. E é ali que o trabalhador local, habitante da terra, encontra parte importante de seu sustento diário.
Fonte: Livro Frutas Brasil Frutas

Comentários

  1. nossa. nunca tinha visto falar. Onde consigo sementes para comprar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Thiago,bom é bem difícil de encontrar sementes dessa frutinha ,nesse site você encontra a muda da fruta para comprar. http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-858228684-sorva-mudas-no-rj-_JM?source=gps.

      Excluir

Postar um comentário

TOP 10 DA SEMANA

Biri-biri

 Você já ouviu falar no biri-biri? É uma fruta que se parece com a carambola e também é conhecida como limão de caiena, devido ao seu sabor azedo característico e localização pela qual chegou às terras brasileiras, entrando na Amazônia por Caiena, na Guiana Francesa. Ela é muito comum na Bahia e faz parte de muitos pratos da culinária regional. A cultura popular acredita que essa frutinha é “antidiabética” e que ajuda a queimar calorias! Um estudo do extrato da fruta mostrou que ela é capaz de diminuir em 50% as taxas de glicose do sangue,  além da sua alta concentração de vitamina C. O azedinho do biri-biri combinado com algumas folhinhas de hortelã se transforma num delicioso e refrescante suco.

Fonte: http://www.goodlight.com.br

Umbu

Umbu é uma fruta de polpa suculenta nativa da Caatinga,região de fortes secas.
A árvore, quando adulta, vive em média 100 anos e pode armazenar até dois mil litros de água em suas raízes.  O umbu destaca-se pelo aroma e pelo quanto pode ser consumido sem causar desconforto. 
Sua polpa tem ação energética e é rica em hidratos de carbono e vitaminas B e C. Seu uso culinário abrange o fruto maduro e verde,transformado de diversas formas,e as folhas cruas ou refogadas.

Bastante apreciado in natura, o umbu é utilizado na fabricação de polpa, suco, sorvete, doce, geléia e uma grande variedade de produtos. Industrializado, o fruto apresenta-se sob forma de sucos engarrafados, doces, geléias, vinho, polpa de frutas.
Pode se cozinhar os frutos mais "passados" para obter vinagre ou bater a polpa com leite e açúcar pra se fazer a tradicional Umbuzada,que pode substituir a refeição noturna do nordestino.

Fonte: lilliverdi.blogspot.com.b




Cagaita

Esse fruto do Cerrado é rico em antioxidantes e vitamina C, tendo um sabor azedinho e ainda um efeito laxativo quando consumidos em grande quantidade  principalmente se estiverem quentes. Já suas folhas têm o efeito oposto quando preparadas em infusão. O nível de vitamina C encontrado nela é superior ao das frutas comuns, e isso faz dela um potencial para bebidas isotônicas e funcionais, assim como seu emprego em geleias e refrigerantes, que ainda terão como acréscimo suas propriedades antioxidantes.

Jambo

O seu gosto é adocicado e suavemente ácido e o aroma é parecido ao de rosas. O jambo é composto por vitamina C, antioxidantes que atuam diretamente na prevenção do envelhecimento precoce,flavonoides e taninos.Todos esses ingredientes neutralizam a ação dos temidos radicais livres, e contribuem para a formação do colágeno e também contra tumores. Fonte:http://www.mundodastribos.com

Cambuci

Além de frutífera a árvore também é ornamental, estando infelizmente sob risco de extinção. Nativa da Mata Atlântica, seus frutos são um ótimo ingrediente para doces e sucos. Arredondado, de polpa carnuda, fibrosa e com poucas sementes, o fruto tem um perfume adocicado e intenso. Há ainda a casca, que verde e com tons em amarelo, é adstringente. O sabor é um pouco ácido, bem parecido com o do limão e apesar de poder ser consumida, o melhor uso é mesmo para o preparo de doces, geleias e sucos.