Pular para o conteúdo principal

Naranjilla

                  

Nome da fruta: Naranjilla
Nome científico: Solanum quitoense Lam.
Família: Solanaceae
Categoria:
Origem: Andes da Venezuela e do Peru
Características da planta: Herbácea, podendo atingir até 3 metros de altura, ramos flexíveis, angulosos, com pêlos esbranquiçados e espinhos distribuídos por toda a planta. Folhas largas, profundamente recortadas quando adultas. Flores pequenas, pétalas alvas com manchas arroxeadas, estames amarelos.
Fruto: Tipo baga, globoso, atingindo até 6 cm de diâmetro, casca de coloração amarela até alaranjada. Polpa aquosa, esverdeada, ácida, envolvendo muitas sementes.
Frutificação: Verão, porém durante o ano todo quando cultivado.
Propagação: Semente e estaca
A naranjilla vive e frutifica recebendo os raios de sol diretos e constantes que cobrem a região equatorial dos Andes, aproveitando a umidade de seu terreno tropical e a temperatura amena que os 2 mil metros de altitude podem lhe proporcionar.
Este fruto concede àqueles que o encontram na natureza o prazer de provar de um sumo delicioso e aromático, ao mesmo tempo, o conforto de ter as forças revigoradas, adquirindo energia para prosseguir nas longas caminhadas por entre as montanhas e florestas.
Seu nome vem da semelhança que tem com a laranja, sobretudo na aparência externa. Ao menos aos olhos dos espanhóis, que aqui a encontraram nativa e deram-lhe esse nome. Menor que a laranja, alcançando um diâmetro de no máximo 6 cm, a naranjilla tem uma casca que varia, na cor, entre o amarelo e o esverdeado.
Em pelo menos dois pontos ambas as frutas diferenciam-se absolutamente. Primeiro, no desenvolvimento do fruto, que surge como uma pequena esfera verde e muito peluda, aveludada, que vai perdendo aos poucos os pêlos, à medida que amadurece. E, depois, na aparência interna e no sabor da polpa, que na verdade são mais semelhantes aos do tomate, embora muito mais ácida do que este, o que impede seu consumo ao natural.
A naranjilla, aliás, assim como o tomate, a berinjela e a batata, pertence à mesma família das Solanáceas, todos frutos de extrema importância para a alimentação humana no planeta.
A planta onde floresce e frutifica a naranjilla alcança 3 metros de altura: é coberta de penugem e espinhos, podendo ser encontrada em abundância no Peru, no Equador, na Venezuela e em algumas partes da América Central. Embora se adapte com perfeição às regiões andinas, a naranjilla se expande em direção a Amazônia, alcançando a floresta e penetrando em terras brasileiras pelo extremo oeste da região Norte. Na parte brasileira, quase não se faz uso da fruta, mas, nos países em que ela é abundante, seus refrescos, sucos, sorvetes, geléias e doces são muito apreciados. Por aqui, quando importada, pode ser encontrada ocasionalmente nos mercados de especiarias sofisticados.
Fonte:http://poderdasfrutas.com

Comentários

TOP 10 DA SEMANA

Biri-biri

 Você já ouviu falar no biri-biri? É uma fruta que se parece com a carambola e também é conhecida como limão de caiena, devido ao seu sabor azedo característico e localização pela qual chegou às terras brasileiras, entrando na Amazônia por Caiena, na Guiana Francesa. Ela é muito comum na Bahia e faz parte de muitos pratos da culinária regional. A cultura popular acredita que essa frutinha é “antidiabética” e que ajuda a queimar calorias! Um estudo do extrato da fruta mostrou que ela é capaz de diminuir em 50% as taxas de glicose do sangue,  além da sua alta concentração de vitamina C. O azedinho do biri-biri combinado com algumas folhinhas de hortelã se transforma num delicioso e refrescante suco.

Fonte: http://www.goodlight.com.br

Umbu

Umbu é uma fruta de polpa suculenta nativa da Caatinga,região de fortes secas.
A árvore, quando adulta, vive em média 100 anos e pode armazenar até dois mil litros de água em suas raízes.  O umbu destaca-se pelo aroma e pelo quanto pode ser consumido sem causar desconforto. 
Sua polpa tem ação energética e é rica em hidratos de carbono e vitaminas B e C. Seu uso culinário abrange o fruto maduro e verde,transformado de diversas formas,e as folhas cruas ou refogadas.

Bastante apreciado in natura, o umbu é utilizado na fabricação de polpa, suco, sorvete, doce, geléia e uma grande variedade de produtos. Industrializado, o fruto apresenta-se sob forma de sucos engarrafados, doces, geléias, vinho, polpa de frutas.
Pode se cozinhar os frutos mais "passados" para obter vinagre ou bater a polpa com leite e açúcar pra se fazer a tradicional Umbuzada,que pode substituir a refeição noturna do nordestino.

Fonte: lilliverdi.blogspot.com.b




Cagaita

Esse fruto do Cerrado é rico em antioxidantes e vitamina C, tendo um sabor azedinho e ainda um efeito laxativo quando consumidos em grande quantidade  principalmente se estiverem quentes. Já suas folhas têm o efeito oposto quando preparadas em infusão. O nível de vitamina C encontrado nela é superior ao das frutas comuns, e isso faz dela um potencial para bebidas isotônicas e funcionais, assim como seu emprego em geleias e refrigerantes, que ainda terão como acréscimo suas propriedades antioxidantes.

Jambo

O seu gosto é adocicado e suavemente ácido e o aroma é parecido ao de rosas. O jambo é composto por vitamina C, antioxidantes que atuam diretamente na prevenção do envelhecimento precoce,flavonoides e taninos.Todos esses ingredientes neutralizam a ação dos temidos radicais livres, e contribuem para a formação do colágeno e também contra tumores. Fonte:http://www.mundodastribos.com

Cambuci

Além de frutífera a árvore também é ornamental, estando infelizmente sob risco de extinção. Nativa da Mata Atlântica, seus frutos são um ótimo ingrediente para doces e sucos. Arredondado, de polpa carnuda, fibrosa e com poucas sementes, o fruto tem um perfume adocicado e intenso. Há ainda a casca, que verde e com tons em amarelo, é adstringente. O sabor é um pouco ácido, bem parecido com o do limão e apesar de poder ser consumida, o melhor uso é mesmo para o preparo de doces, geleias e sucos.